Guia completo da retenção de alunos para escolas e cursos

Tempo de leitura: 19 minutos

Conseguir novos alunos é fundamental para qualquer escola ou curso. E a retenção também é igualmente importante, principalmente se analisarmos o cenário de instabilidade presente no Brasil. Pode-se dizer, inclusive, que a retenção de alunos tem se tornado uma prática cada vez mais difícil.

Infelizmente, o número de estudantes que ficam apenas um ou dois anos em uma mesma escola é grande, impactando em seu desenvolvimento. É válido afirmar que um aluno que fica por mais tempo em um mesmo colégio apresenta maior facilidade de aprendizado e melhora os aspectos em relação ao convívio em sala de aula.

Obviamente, a qualidade do ensino é um dos pontos mais observados por pais e responsáveis, uma vez que a escola ou curso deve ajudar o aluno a conquistar seus objetivos, seja a aprovação no vestibular, seja a aprovação em um concurso público.

Lamentavelmente, a retenção de alunos ainda não recebe a mesma atenção que a captação. E é um erro grave que é cometido pela maioria dos diretores e gestores escolares. Afinal, de nada adianta conseguir trazer novos alunos se não é possível retê-los por um tempo considerável.

Interessou-se pelo assunto? Então, veja nosso guia completo da retenção de alunos para escolas e cursos. Aplique já os conhecimentos destacados e melhore a imagem da sua escola no mercado.

1. O que é a retenção de alunos em escolas e cursos

A retenção de alunos pode ser explicada como um conjunto de ações e técnicas realizadas por uma instituição de ensino para garantir que os alunos matriculados cheguem até o fim do curso e se formem, obtendo o diploma de conclusão.

Existem algumas práticas que compreendem o processo de retenção de alunos. Obviamente, essas práticas podem mudar de acordo com o tipo de ensino disponibilizado pela instituição. Afinal, a educação básica, o ensino superior e outros tipos de cursos devem ser analisados de maneira individual.

Entretanto, essas categorias têm alguns pontos em comum, evidenciando que o processo de retenção pode ser organizado de acordo com as dimensões que impactam diretamente na permanência de um aluno no curso, como as dimensões acadêmica, financeira, comportamental e geográfica.

Dimensão acadêmica

A dimensão acadêmica visa acompanhar o desempenho acadêmico do aluno, avaliando suas notas e a frequência nas disciplinas matriculadas. Esse quesito é de grande importância, pois as baixas notas são um dos principais motivos que levam os alunos a abandonar ou trocar de escola.

Dimensão financeira

A dimensão financeira tem por objetivo realizar o acompanhamento do aspecto financeiro de um aluno, buscando identificar os estudantes adimplentes, inadimplentes, bolsistas e participantes de financiamentos.

Assim como o baixo desempenho acadêmico, a questão financeira também é um dos principais fatores que impactam na retenção de alunos em escolas e cursos. Portanto, avaliar esse aspecto de perto será de grande valia para a instituição.  Principalmente em momentos de instabilidade econômica como o que estamos vivendo.

Dimensão comportamental

Esse ponto tem como propósito o acompanhamento das manifestações e atitudes dos alunos, analisando a disciplina dentro de sala de aula e o comportamento em diversos canais extraclasses, como as redes sociais e a ouvidoria da escola.

É preciso estar atento a tudo que os alunos falam, sentem e pensam, principalmente durante a educação básica. Essa fase da vida é repleta de mudanças e descobrimentos. E pode até ocasionar dúvidas e insegurança nos jovens e afetar o seu desempenho escolar.

Além disso, é importante prestar atenção em ações discriminatórias, como o bullying. Esse tipo de atitude também pode ser decisivo para a não permanência de determinados alunos em algumas escolas e manchar a imagem de sua instituição.

Dimensão geográfica

Por fim, mas não menos importante, temos a dimensão geográfica. Por meio dela é possível identificar o tempo médio que o aluno gasta no deslocamento até a escola. Assim como os demais tópicos, a dimensão geográfica também interfere diretamente no desejo dos alunos de continuar os estudos e no seu desempenho escolar.

2. As vantagens de investir na retenção de alunos

Atrair alunos deve ser uma prática constante de escolas e cursos. Essas ações devem ser vistas com bons olhos, pois podem representar uma maneira de reter alunos e angariar novos estudantes.

Existem algumas vantagens claras no processo de retenção de alunos. Alguns  exemplos são: melhor desenvolvimento dos estudantes, relação mais próxima entre professores e alunos, melhora no ambiente da sala de aula, maior integração da família e aumento da credibilidade da instituição.

Desenvolvimento dos alunos

Como já foi destacado, alunos que trocam de escola frequentemente apresentam uma série de dificuldades de aprendizado, seja por conta da diferença na abordagem de conteúdos, seja por conta dos métodos de ensino. Até que o aluno se adapte à nova realidade, um bom tempo pode ser perdido.

Entretanto, alunos que permanecem por um longo tempo em uma mesma escola se acostumam com as técnicas de estudo, com a forma de ensino dos conteúdos e, até mesmo, com os métodos avaliativos, apresentando melhores resultados e notas condizentes com a quantidade de conhecimento adquirido.

Relação mais próxima entre professores e alunos

Outra vantagem da retenção de alunos é a criação de uma relação mais próxima entre professores e alunos. Assim, os professores saberão explorar o perfil de cada estudante, melhorando os aspectos cognitivos e, consequentemente, o resultado final.

Com o passar dos meses, os professores experientes serão capazes de identificar as dificuldades e aptidões de cada indivíduo, desenvolvendo soluções específicas para que cada um possa atingir o seu máximo potencial.

Ambiente da sala de aula

Alunos que estão há mais tempo em uma mesma escola passam a se conhecer melhor. Com isso, acabam criando laços de amizade entre eles e entre a equipe de profissionais. Esse convívio incentivará a busca pelos mesmos objetivos, compreendendo as dificuldades encontradas no caminho e criando maneiras de ultrapassar os obstáculos.

Além do mais, há o sentimento de pertencimento a um grupo. E isso é um artifício para a melhoria contínua dos processos e dos resultados de todos os envolvidos.

Integração da família

A retenção de alunos em escolas e cursos também deve ser vista como uma maneira de propiciar a integração de toda a família. A participação dos pais ou responsáveis em eventos familiares — como festas juninas ou festas da família — permite que eles conheçam toda a estrutura da escola de perto e possam verificar o perfil dos profissionais que lá trabalham.

Assim, eles pensarão duas vezes antes de trocar o filho de colégio, uma vez que todos já estão habituados com a instituição e perder esse relacionamento criado há anos pode ser um grande desperdício.

Credibilidade

Fidelizar clientes é uma prática que deve ser levada em consideração em qualquer tipo de negócio, e no mercado educacional não seria diferente, não é mesmo?

Garantir a satisfação de pais e alunos é imprescindível para aumentar a credibilidade do negócio, fortalecendo a marca da instituição e sendo uma forma interessante de marketing para atrair alunos.

Afinal, pessoas satisfeitas com determinado tipo de serviço costumam indicá-lo para parentes e amigos. E isso acaba gerando uma publicidade sem custos e de grande representatividade. Pense nisso!

3. Veja 6 práticas para melhorar a retenção de alunos na escola ou curso

Existem algumas atitudes que, se realizadas, podem melhorar a retenção de alunos. Dentre as mais eficientes, podemos destacar 6 alternativas. Veja a seguir:

1. Saiba quem são seus alunos

É interessante lembrar que existe uma grande diferença entre a forma como os professores e demais profissionais pensam que os alunos são e quem eles realmente são.

Sendo assim, ao decidir realizar o investimento em algumas áreas específicas, a decisão deve ser precedida de uma análise que envolve inúmeros aspectos, desde a qualidade do ensino até os principais benefícios que o aluno terá e que podem aumentar o nível de identificação com a estrutura da escola.

Para conhecer melhor seus alunos, procure saber onde eles moram, sua faixa etária, seu poder econômico, seus principais gostos e interesses e os objetivos de vida da maioria. Assim, será possível criar eventos e ações eficientes que podem ajudar na sua retenção.

2. Comece a retenção de alunos na captação

Conhecer o perfil e as principais características da maioria dos alunos será fundamental para captar alunos. Afinal, agora que você os conhece bem, não é qualquer um que merece entrar nesse grupo, não é mesmo?

O processo seletivo deve englobar mais do que o conhecimento dos candidatos. É preciso analisar também seu perfil e suas características pessoais. Outra prática interessante se dá pela exposição de informações relevantes sobre a instituição educacional.

No momento da matrícula, por exemplo, pode-se evidenciar com riqueza de detalhes as particularidades do corpo docente, o método de ensino adotado, as políticas de pagamento e reajuste e outros temas que considere relevante. A ideia é associar a expectativa dos pais e alunos à realidade da escola e dos cursos.

3. Preste atenção nas necessidades dos alunos

Seja uma escola de ensino básico, ou uma instituição de ensino superior, ou um cursinho, os alunos apresentarão um ponto em comum: eles querem ser ouvidos.

Portanto, a criação de um canal de comunicação pode ser essencial para melhorar os níveis de retenção de alunos. Esse canal será uma forma para que eles possam expor suas ideias, apresentar sugestões e identificar pontos de melhoria. E isso, tanto na estrutura física como na estrutura curricular. O benefício dessa prática será imediato.

4. Observe o comportamento dos alunos

Um gestor de qualidade é capaz de identificar alguns pontos específicos em seus alunos. Uns falam muito, outros têm dificuldades de socialização e alguns já tiveram problemas com um docente ou com colegas.

Observar o comportamento dos alunos também é uma alternativa para conseguir reter os estudantes. Dessa forma será mais fácil identificar ações de bullying, preconceitos e outros problemas, criando maneiras para solucioná-los de uma vez por todas.

5. Ofereça soluções para as pendências financeiras

Como foi citado acima, a situação financeira do nosso país não está nada fácil. E com isso, a inadimplência tem se tornado uma realidade em algumas famílias. Contudo, é preciso encontrar maneiras de ajudá-las a evitar e, principalmente, eliminar esse tipo de pendência. Lembre-se: a falta de recursos financeiros é uma das principais causas de transferências escolares.

Para iniciar esse processo, tenha em mãos o histórico de pagamentos e o desempenho acadêmico do aluno. Com isso, faça uma análise das informações e proponha soluções para a permanência dele na instituição. As escolas funcionam como qualquer outro tipo de negócio, então, negociar dívidas é uma prática comumente realizada. Pense nisso!

6. Analise as transferências

Por mais que o diretor tome todas as ações necessárias e seja perfeito em sua atuação, ainda haverá pais ou alunos que solicitarão uma transferência. Porém, essa situação deve ser vista como uma oportunidade de melhoria.

Para tanto, avalie o porquê da transferência, que pode ser uma informação extremamente preciosa. Além disso, procure informações sobre a nova instituição escolhida, analisando as diferenças existentes entre a sua escola e a concorrência.

4. Como fidelizar os pais dos alunos na escola

Fidelizar os estudantes e criar uma relação mais próxima de toda a família são práticas responsáveis pela retenção de alunos. A grande dúvida que fica é: como fidelizar os pais dos alunos? O que podemos fazer para nos tornarmos mais atrativos para esse público?

Existem algumas ações que podem influenciar positivamente os alunos e suas famílias. E essas ações acabarão tornando a fidelização uma grande constância em sua instituição de ensino. Confira algumas delas a seguir.

Invista na comunicação

Apesar de a comunicação já ter sido abordada no que diz respeito às necessidades dos alunos, ela também pode ser utilizada para fidelizar suas famílias. Para isso, procure identificar as redes sociais que os pais mais utilizam. Após esse mapeamento, crie o perfil de sua instituição, abastecendo-o frequentemente.

Um blog com conhecimentos diversos e informações importantes sobre os eventos a serem realizados no ambiente escolar pode ser uma boa alternativa. Aproveite essa página para compartilhar histórias interessantes relacionadas à sua instituição e seus alunos. Essas ações servirão para que os pais saibam exatamente o que está acontecendo no ambiente escolar.

Para conseguir mensurar os resultados, invista em plataformas que possibilitem essa prática. Alguns exemplos são o Twitter, Instagram, LinkedIn, Facebook e Google Analytics. Assim, você terá informações valiosas em suas mãos, facilitando o processo de tomada de decisão.

Use o marketing a seu favor

Além de criar canais de comunicação e prover a interação nas redes sociais, é preciso utilizar o marketing para favorecer o negócio. Busque a valorização do seu capital social por meio de uma visão mais realista da escola.

É válido lembrarmos que o destaque somente se torna presente para as escolas ou cursos que são capazes de atrair e, principalmente, fidelizar um bom número de alunos. Lembre-se: o aluno ideal é aquele que termina o curso em sua instituição.

Para utilizar o marketing a seu favor, tenha um diálogo aberto com toda a comunidade escolar, em diversos meios diferentes. Por exemplo, chats, grupos online, fóruns e outras maneiras que sejam capazes de promover discussões interessantes e manter a proximidade com os alunos.

As mensagens instantâneas também representam um recurso que pode ser amplamente utilizado. Por meio delas, os pais ou responsáveis poderão estar sempre por dentro dos acontecimentos e das informações significativas sobre o ambiente escolar.

Por fim, procure responder todas as dúvidas, tanto de alunos quanto de familiares. Além disso, invista na criação de informativos, por meio digital (newsletter) ou físico, mostrando para os interessados os destaques relativos a um determinado período.

Aposte na tecnologia

O mundo atual está passando por uma grande revolução tecnológica. Nos últimos anos, um grande número de dispositivos, aplicativos e recursos foi criado. E eles acabaram mudando a forma como realizamos as principais atividades em nosso dia a dia e, até mesmo, a forma como nos relacionamos.

Obviamente, o setor da educação não poderia ficar de fora. Portanto, deve-se investir na possibilidade de criar ambientes que estejam integrados ao universo digital, propiciando um ensino de qualidade e que esteja de acordo com a evolução do mundo para todos os alunos, aumentando o seu engajamento e a resposta em relação à assimilação de conteúdos.

O investimento em novas tecnologias também pode englobar a estrutura física escolar. Alguns exemplos são por meio da criação de salas e laboratórios com os recursos adequados para a sua utilização, acesso à internet e outras maneiras de aumentar o aproveitamento das aulas pelos estudantes.

O material digital também pode ser utilizado, visando diversificar as experiências dos alunos e permitindo a realização de estudos e atividades extracurriculares, necessitando apenas de um dispositivo que tenha conexão à internet.

Por fim, mas não menos importante, deve-se analisar o comportamento dos alunos frente às novas tecnologias, identificando padrões e possíveis pontos de melhoria. Assim, os responsáveis saberão que o tempo e o dinheiro investidos serão devolvidos em forma de conhecimento para seus filhos.

5. Como a tecnologia pode ajudar na retenção de alunos

Seguindo o raciocínio utilizado no tópico anterior, a tecnologia deve ser vista como uma grande aliada na retenção de alunos, e não como um meio de distração utilizado em momentos e situações impróprias pelos estudantes.

O uso da tecnologia deve representar muito mais do que um laboratório de informática com os computadores mais modernos do mercado. A estrutura da escola deve expandir seus limites físicos. Ela deve estar presente nos momentos em que os alunos estiverem estudando em casa, por exemplo.

As redes sociais e os aplicativos podem ser utilizados como uma extensão da atuação escolar, facilitando o contato com o corpo docente e a solução de dúvidas. Além disso, é uma maneira para que responsáveis entrem em contato sem que seja necessário se deslocar até o endereço da instituição ou parar o que estão fazendo para realizar uma ligação.

Não podemos deixar de mencionar que já existem aplicativos capazes de fornecer informações inestimáveis aos pais e aos alunos. Por meio desse recurso, é possível consultar as notas, a frequência e a situação financeira dos estudantes. Além disso, esse canal também permite emitir segunda via de boletos, negociar débitos e acessar o ambiente pedagógico.

Além desses benefícios, o uso de um sistema de gestão escolar online também será de grande valia para a escola como um todo. Processos como a gestão acadêmica, gestão financeira e gestão pedagógica poderão ser realizados por meio dessa alternativa.

Itens como o histórico dos alunos, o gerenciamento de inadimplentes e alunos bolsistas, as transferências, o processo de separação e formação de turmas, a gestão do caixa escolar, a integração de pagamentos e outros documentos também são pontos que merecem ser mencionados.

Os professores também se beneficiarão, podendo acessar o diário escolar de maneira online e utilizando outros recursos de modo offline. Os índices educacionais, as avaliações, a comunicação com os responsáveis, a gestão da biblioteca e até mesmo gráficos de rendimento escolar são outros benefícios que o uso de novas tecnologias pode trazer para o setor.

A retenção de alunos é imprescindível para a manutenção de uma instituição educacional no mercado. Listamos algumas dicas para facilitar esse processo. Mas atenção! É válido afirmar que será necessário ter muita dedicação e trabalho para melhorar os níveis da escola e colocá-la em posição de destaque.

O investimento em tecnologia pode ser uma alternativa interessante, aliando as expectativas dos pais, dos alunos e dos colaboradores em relação ao que pensa o corpo diretor da instituição.

Os alunos podem se sentir motivados a estudar, pois terão acesso a um mundo de informações pela palma da mão. Em contrapartida, pais e professores poderão resolver situações burocráticas com poucos cliques. Assim, o processo de comunicação se tornará mais efetivo e de acordo com os avanços tecnológicos do mundo atual.

Nunca é demais lembrar: atrair é importante, mas é ainda mais essencial conseguir reter seus alunos em sua escola ou curso. Essa é a única maneira de garantir a longevidade do negócio e o fortalecimento de sua marca no mercado. Não se esqueça!

Fale com um consultor

Assine a newsletter do Proesc

E aí, o que achou deste guia sobre a retenção de alunos? Não é um bicho de sete cabeças, mas não será fácil alcançar os objetivos, não é mesmo? Podemos ajudá-lo com nossos conteúdos. Para isso, assine a newsletter do Proesc e receba, em primeira mão, todas as nossas atualizações. Não vá perder essa oportunidade, hein?

LEITURAS ALTAMENTE RECOMENDADAS:

Marketing para atrair alunos: aprenda como fazer!

8 indicadores de qualidade para acompanhar na gestão escolar

Gestão pedagógica: tudo o que você precisa saber

Curta também o nosso Facebook, siga-nos no Twitter e no Instagram e acompanhe nosso canal no Youtube!

Para curtir o Proesc no Facebook, é só clicar no botão Like Page a seguir.

O que achou desse conteúdo? Deixe seu comentário

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.