5 modelos de educação que você precisa conhecer!

Tempo de leitura: 7 minutos

Alunos enfileirados, professores com aulas expositivas e provas para avaliar desempenho. Esse modelo de educação, apesar de ser o mais tradicional e difundido, está cada vez mais ultrapassado. Com a chegada da tecnologia e novas teorias educacionais, novos modelos de educação surgem e ganham espaço nas escolas do Brasil e do mundo.

5 modelos de educação para você se inspirar

Conhecer alguns desses modelos de educação é essencial para que você invista na reformulação e inovação da sua instituição de ensino. Ficou curioso? Então leia este artigo e descubra como 5 deles funcionam na prática!

1. Sala de aula invertida

Em uma sala de aula, os professores expõem o conteúdo e, após esse momento, os alunos fazer exercícios para fixar o que foi aprendido, não é mesmo? Não na sala de aula invertida!

Nesse modelo de educação, o que muda é a ordem da apresentação do conteúdo, assim como o papel do aluno e do professor na aprendizagem. Na sala de aula invertida, os alunos estudam o conteúdo sozinhos em primeiro lugar e, em sala de aula, devem tirar as dúvidas com os professores e resolver os problemas propostos.

Ou seja, quando o estudante chega na sala de aula, ele já possui uma base sobre o conteúdo que irá ser discutido. Dessa forma, ele pode tirar dúvidas, participar de discussões ou realizar trabalhos em grupo com os seus colegas.

A principal vantagem desse modelo é o papel de protagonista que o aluno assume em relação à própria educação. Ele é ativo no processo e, com isso, pode se aprofundar no conteúdo em um ritmo próprio e ainda criar esquemas lógicos sobre o que foi estudado sozinho.

Além disso, o professor fica livre para circular em sala e assumir o papel de tutor dos estudantes e orientá-los de uma forma que potencialize a aprendizagem.

2. School in the cloud

Esse modelo de educação, também conhecido como SITC, foi criado na Índia. Ele veio de uma experiência na qual um pesquisador disponibilizou computadores para crianças que nunca tinham lidado com essa máquina e deixou que elas aprendessem sozinhas como utilizá-los — assim como os conteúdos educacionais que foram inseridos.

Com evoluções e melhorias dessa experiência, surgiu o School in the cloud, modelo no qual o professor atua como tutor dos alunos e disponibiliza apenas gatilhos para a aprendizagem.

Na prática, os alunos são divididos em grupos e o conteúdo é apresentado por meio de perguntas disparadoras. Os estudantes devem discutir com o grupo as respostas e chegar, sozinhos, a uma solução. Por fim, todos os grupos apresentam as suas respostas e elas são discutidas com toda a sala de aula, com a mediação do professor.

Ele também gera grande autonomia nos estudantes, que passam a ser os responsáveis pela própria aprendizagem. Além disso, incentiva o trabalho em grupo e a tutoria dos alunos. Ou seja, aquele estudante que já está mais avançado nos estudos pode ajudar os colegas a encontrarem as respostas, o que permite um desenvolvimento colaborativo do grupo.

3. Currículo flexível

Cada aluno possui interesses próprios que geram maior motivação para a aprendizagem. É no sentido de respeitar essas diferenças e potencializar a aprendizagem dos estudantes que entra o modelo do currículo flexível.

Esse é um dos modelos de educação que já é uma realidade no Brasil e foi implementado há pouco tempo nas escolas do país com a Reforma do Ensino Médio. Nele, o aluno possui uma série de matérias e disciplinas disponíveis, e pode escolher aquelas de maior interesse para cursar dentro da escola.

Na prática, os alunos possuem algumas matérias obrigatórias, que todos deve realizar. Porém, boa parte do currículo é feita de acordo com disciplinas eletivas que a escola deve oferecer, que podem ir de microbiologia à dança.

Com isso, o aluno ganha autonomia para montar o seu ano letivo, além de maior motivação para aprender, uma vez que pode eleger temas de interesse para aprofundamento. Esse modelo também respeita o tempo de cada aluno, uma vez que ele pode escolher classes mais ou menos avançadas, de acordo com o seu nível de conhecimento em determinado conteúdo.

4. Modelo STEAM

STEAM é uma sigla para Science, Technology, Engineering, Arts e Mathematics, disciplinas que integram esse modelo de educação.

Ele é um tipo de aprendizagem baseado em projetos completos e interdisciplinares que devem ser desenvolvidos pelos alunos para viabilizar a aprendizagem de conteúdo. Ele é inspirado na forma como as grandes Universidades produzem ciência e inicia o aluno nesse tipo de prática.

Dessa forma, no STEAM, são propostas atividades que envolvem todas essas áreas do conhecimento de uma só vez. Esses projetos são complexos e exigem o desenvolvimento de pensamento reflexivo e crítico para a conclusão, que deve ser feita em grupo.

O professor atua como um tutor que dá as diretrizes para que os alunos completem as atividades. Ao longo do caminho, os estudantes precisam pesquisar e descobrir novos conteúdos e, com isso, aprendem na prática como utilizá-los em uma tarefa.

Além de autonomia, esse modelo educacional também viabiliza a aprendizagem prática do que deve ser ensinado na sala de aula. Dessa forma, os alunos fixam o conteúdo com mais eficiência e ainda aprendem uma nova forma de produzir conhecimento, baseada na ciência.

5. Educação democrática

Esse é um dos modelos de educação que vem ganhando espaço nas escolas do Brasil e do mundo. A sua principal característica está relacionada ao poder de decisão dos alunos em relação ao próprio futuro dentro da instituição de ensino.

Portanto, em uma escola democrática, todos os alunos participam das decisões sobre o futuro da instituição, assim como os demais profissionais que atuam nela. Dessa forma, eles se tornam responsáveis pelo próprio futuro e pelo dos seus colegas.

Isso desenvolve um senso crítico nos estudantes que vai além do que é proposto em sala de aula. Eles adquirem maior prazer e motivação para estudar, uma vez que se sentem protagonistas e responsáveis pela própria educação.

Como você pode perceber, novos modelos de educação estão surgindo a todo momento. Todos eles são pautados no protagonismo dos estudantes e potencializam a aprendizagem por meio do pensamento reflexivo e autonomia. Os modelos de educação se adequam à nova realidade social na qual todos estão inseridos e preparam os alunos para lidar com ela.

E aí, gostou do conteúdo do texto? Quer saber mais sobre as mudanças citadas? Então descubra agora quais são as 5 tendências da escola do futuro!

modelos de educação

Assine a newsletter do Proesc

Se você gostou de conhecer esses 5 modelos de educação, não deixe de assinar a newsletter do Proesc e receba conteúdos, dicas e novidades do mundo educacional!

LEITURAS RECOMENDADAS:

Como usar a tecnologia para arquivar documentos escolares

Educação inclusiva: quais os pilares e o que a escola precisa fazer?

Entenda as características de uma gestão escolar de qualidade

Aproveite e curta também o nosso Facebook, siga-nos no Twitter e no Instagram e acompanhe nosso canal no Youtube!

Para curtir o Proesc no Facebook, é só clicar no botão Like Page a seguir.

O que achou desse conteúdo? Deixe seu comentário